Opressão, herança e propriedade privada: marxismo e família

Data: Terça-feira, 26 de julho
Tempo: 13:00 - 16:30 BST

Engels descreveu o surgimento da família patriarcal como a primeira contrarrevolução da humanidade. Por centenas de milhares de anos, sob as condições do que Engels chama de comunismo primitivo, não havia propriedade privada, o casamento como o conhecemos hoje não existia e não havia classes sociais. Mas a agricultura e a produção de um excedente (mais recursos do que o necessário para a sobrevivência) lançaram as bases materiais para a divisão do trabalho, e com ela o surgimento de classes sociais: exploradores e explorados.

A crescente classe dominante precisava de uma maneira de passar sua riqueza acumulada para sua prole, descendo a linha masculina, o que, por sua vez, exigia uma maneira de determinar a paternidade e controlar a reprodução. A única maneira de fazer isso era rebaixar as mulheres à posição de dominação dos homens. Esta é a base histórica para o casamento em sua forma atual e a família nuclear. A família, a propriedade privada, o Estado e a sociedade de classes têm uma origem comum. Hoje, lutamos para libertar as relações humanas dos grilhões da coerção e da opressão; e colocá-los em uma base saudável em uma sociedade socialista.