Marxismo e Arte: desprendendo a cultura do capitalismo

Data: Domingo 24 de julho
Tempo: 13:00 - 16:30 BST

Sob o capitalismo, a arte e a cultura nada são além de negócios para serem explorados visando o lucro. Enquanto isso, as grandes realizações artísticas da história da humanidade são trancafiadas nos cofres dos ricos ou em galerias e teatros privados e caríssimos, o que Trotsky chamou de “campos de concentração da mente”.

A imensa maioria das pessoas é impedida de produzir arte, forçadas como são a dedicar a maior parte de seu tempo trabalhando para uns poucos parasitas, sem sequer ter tempo de sobra para descansar. Faculdades de arte elitistas e galerias fechadas garantem que a maior parte da população seja mantida distante da cultura “fina”, enquanto que a necessidade de ganhar a vida impede que muitos artistas experimentem e desenvolvam sua arte.

A crise do capitalismo também é uma crise da cultura: como vemos na interminável sucessão de filmes hollywoodianos de super herói quase idênticos, e uma estagnação se vê em todas as outros gêneros.

Leitura recomendada: Literatura e Revolução - Leon Trótski