A teoria marxista do conhecimento: como conhecemos as coisas?

Você precisa estar logado para assistir essa sessão. Faça o login aqui

Como adquirimos conhecimento? Esta questão central na filosofia tem confundido os pensadores por milênios. Por um lado, você tem os idealistas, que argumentam que a verdade existe a priori do mundo material e encontra seu reflexo em nossas mentes - implicando em última análise que o conhecimento vem de fora da natureza - de um ser superior.

Depois, há os materialistas burgueses, cuja principal teoria do conhecimento (empirismo) afirma que só podemos conhecer o conteúdo de nossos sentidos, tornando impossível falar com confiança sobre generalização, causas – ou mesmo a existência de realidade material fora da nossa própria experiência direta.

Os marxistas argumentam que o conhecimento vem do mundo, e é generalizando nossa experiência do particular (por exemplo, nos queimando) que podemos formar abstrações que nos permitem compreender o geral (por exemplo, o fogo é quente). Assim, a prática e a experiência concreta são a base do conhecimento. Enquanto isso, passar nossas experiências uns aos outros nos permite desenvolver a sociedade, a produção, a ciência e a técnica humanas a níveis cada vez mais elevados de complexidade, aprofundando assim nosso conhecimento do mundo.